quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Gois 2013

Em ano de comemoração da 20ª concentração de motos do GÓIS Moto clube, senti a falta de alguns dos amigos que veneram GÓIS e que por motivos de ordem profissional não puderam estar presentes, vocês sabem dos que falo.
Como diz o Slogan - "Tá-se bem em Góis" - e é verdade, e foi mais uma vez um fim-de-semana memorável onde se comeu, bebeu e curtiu-se Góis ao melhor estilo de sempre.
Este ano fui eu o Veríssimo e a Milena, cada um em sua mota e foi já em Góis que nos juntámos ao Jairo, à Bela, ao Pedro, ao Faustino (da Póvoa do Varzim) e ao Mário (do Porto). Na sexta-feira à noite e no sábado tivemos também a companhia dos recentes motociclistas Tiago e Marta Zorro (põe os olhos nesta malta Tio Afonso, encheram-se de coragem e lá foram estrear-se em Góis).
 
Agora tenho que dizer aqui algo que é apenas a minha opinião pessoal em relação programa de sábado à noite e a alguns discursos mais entusiasmados:
 
1º - Pareceu-me muito piroso e foleiro pelo menos duas pessoas (uma delas penso que foi o Presidente do Góis Moto Clube) a forma como anunciaram que esta foi a maior concentração do Ano, superaram em 2500 inscrições a concentração de Faro. Isto parece aquele tipo de conversa de garotos..."a minha é maior do que a tua". Não teria bastado dizer que este ano esta foi a maior concentração realizada em Portugal? Seria mesmo necessário espetar um farpa nos companheiros motards de Faro? Foi apenas um pormenor, mas a mim pareceu-me tão mal e não pertenço a nenhum Motoclube. Então e o tal espírito Motard? É só cumprimentar os motards com que nos cruzamos e o resto não interessa.
Não devemos cuspir no prato onde comemos e não devemos esquecer que muito desta coisa das motos começou com FARO.
Também notei não haver uma presença significativa do Moto Clube de Faro a prestar uma visita de cortesia à concentração de Góis.
 
Parece-me que o Góis Moto Clube tem realizado um excelente trabalho, mas parte do sucesso desta concentração em relação à de Faro tem muito a ver com o demérito da organização de Faro 2013 e do cartaz muito fraco para um preço de 45 euros por pessoa.
 
2º - Por falar em cartaz, para a festa dos 20 anos Góis merecia um programa de sábado proporcional a este aniversário emblemático.
Primeiro foi uma orquestra filarmónica (tremendo erro de casting). Não pela qualidade ou gosto musical, mas apenas porque o estado de espírito de publico pedia outra música. 
Depois foram os Azeitonas (um enorme erro de casting). Foi o pior momento da noite, não cativaram o público, foi a única vez que ouvi apupos e assobios durante um concerto numa concentração de motos. Também houve quem batesse palmas (uns por simpatia outros por gostarem). Não vou dizer mais nada em relação ao Azeitonas, porque não tenho nada contra esta banda que até tem qualidade, mas não é para um ambiente Motard.
No final foram os Deolinda (mais um erro de casting), fizeram tudo para agarrar o público e encarnarem o espírito de motociclista. Conseguiram manter a malta a assistir ao concerto, receberam aplausos e não receberam apupos. 
 
Era um bom cartaz para assistir numa sala fechada com lugares sentados tipo Coliseu ou num teatro, mas em Góis estragaram a noite.
 
Na sexta-feira à noite, The Fly (tributo aos U2) e UHF, foram excelentes e apropriados à ocasião.
 
 
















 















Com o Jairo, a Bela e o Pedro








Quem diria que os calções do Veríssimo valem tanto



O Tiago e a Marta Zorro












video video